• +55 (21) 2262-6523 | +55 (21) 2262-6523

PROJETOS

Menina, Moça, Mulher

INSTITUTO CARLOS CHAGAS INAUGURA CASA DO PROJETO MENINA, MOÇA, MULHER.

Casa, no Centro do Rio de Janeiro, será centro de referência para a saúde da mulher.

Moradoras de comunidades da região central do Rio de Janeiro estão entre os públicos prioritários.

Atendimentos ambulatoriais, em oficinas e palestras deverá ser de 2000 pacientes por mês.

O Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas inaugura, em maio, a sede do projeto Menina-Moça, Mulher, centro de referência no atendimento integrado de saúde da mulher formulado de forma a ser replicado em outras regiões do país. O projeto é definido como uma completa rede de atenção a mulheres de todas as idades, em situação de vulnerabilidade social, a partir da oferta de consultas médicas, palestras e oficinas tendo à frente uma equipe multidisciplinar. O Menina-Moça, Mulher contempla, ainda, o desenvolvimento de pesquisas na área de atendimento à Saúde da Mulher, ao integrar as ações do Projeto aos programas educativos do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas.

“O Menina-Moça, Mulher é único, moderno e inovador e foi pensado para dar apoio a mulheres em situação de rua, moradoras de comunidades, pessoas em situação de rua, profissionais do sexo, usuárias de drogas, vítimas de abuso sexual e todas as mulheres que tenham dificuldade no acesso ao sistema de saúde e precisem de atendimento especializado. Vamos promover também ações ligadas a direitos sexuais e reprodutivos, oferecer apoio jurídico e cursos de capacitação para a geração de trabalho e renda”, explica o cirurgião plástico Ricardo Cavalcanti Ribeiro, presidente do Instituto Carlos Chagas e um dos idealizadores da iniciativa.

O Menina-Moça, Mulher funcionará em uma casa, na região central do Rio de Janeiro, que abrigou um ambulatório e foi totalmente reformado para acomodar as salas para consultas, oficinas e atividades.

Segundo Ricardo Cavalcanti Ribeiro, o Menina-Moça, Mulher vai atender as necessidades sociais de jovens e mulheres carentes, chamando a atenção para a responsabilidade social de quem pode e deve fazer mais pela população. Além disso, o projeto vai seguir os conceitos adotados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“O Menina-Moça, Mulher não tem fins lucrativos e foi criado para resgatar mulheres em situação de risco, que terão a chance de retomar a autoestima e ganharão uma nova oportunidade de reinserção na sociedade. Queremos resgatar a cidadania dessas pessoas em um projeto que tem como foco a menina, a moça e a mulher que apresenta demandas relacionadas à saúde, ao social e ao psicológico”, explica.

Segundo Silvio Fernandes, coordenador do Menina-Moça, Mulher, a gravidez na adolescência será um tema tratado pelos especialistas. “Atualmente, temos uma média de 3,8 gestações para o grupo de meninas com idades entre 10 e 19 anos. É uma estatística que precisa ser mudada, com uma redução drástica desses números. O objetivo é tratar, orientar, oferecer qualidade e opções de crescimento e sustento”, destaca.

Entre os resultados esperados do projeto estão: redução da morbimortalidade materna e fetal, redução das doenças sexualmente transmissíveis, prevenção e atenção à violência contra a mulher, profilaxia de pós-exposição sexual e contracepção de emergência.

Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas
Reconhecido nacional e internacionalmente pela excelência dos cursos e eventos, o Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas é uma entidade filantrópica focada na formação de profissionais com visão ampla de saúde e desenvolvimento social. Fundado há 60 anos, o ICC nasceu do idealismo de um grupo de médicos e é uma referência em pós-graduação médica em toda a América Latina.